18°C 29°C
Sarandi, PR
Publicidade

Comissão realiza seminário para debater pacto para reduzir assassinatos de jovens negros

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados vai promover um seminário na quinta-feira (23) com o tema "Juventude Negra Viva". O objetivo...

20/11/2023 às 08h15
Por: Redação Fonte: Agência Câmara
Compartilhe:
Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados
Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados vai promover um seminário na quinta-feira (23) com o tema "Juventude Negra Viva". O objetivo é debater a necessidade da construção de um "pacto republicano pela redução dos homicídios dos jovens negros no Brasil".

O ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, Silvio Almeida; a ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco; e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, foram convidados para o evento.

Confira a pauta do seminário , que será realizado a partir das 9 horas no plenário 9.

O requerimento para a promoção do debate foi apresentado pela deputada Benedita da Silva (PT-RJ) e pelo deputado Paulão (PT-AL). Na justificativa apresentada, eles citam dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública que registram o assassinato de 408.605 pessoas negras no Brasil nos últimos dez anos. Isso leva essa população a ocupar, de longe, o posto de principal vítima das mortes violentas intencionais no país.

No ano de 2021, por exemplo, 77,6% das vítimas de homicídio doloso e 84,1% das vítimas de mortes decorrentes de intervenções policiais eram negras.

Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

Paulão também assina o requerimento para a realização do evento

Faixa etária
Em relação à faixa etária, a violência é a principal causa de morte dos jovens no Brasil: em 2019, de cada 100 jovens entre 15 e 19 anos que morreram no País por qualquer causa, 39 foram vítimas da violência letal.

Já dos 45.503 homicídios registrados no País em 2019, 51,3% vitimaram jovens entre 15 e 29 anos, o que dá uma média de 64 jovens assassinados por dia.

Negros
Ainda naquele ano, os negros, somado os pretos e pardos conforme classificação do IBGE, representaram 77% das vítimas de homicídios, com uma taxa de homicídios por 100 mil habitantes de 29,2.

Comparativamente, entre os não negros (soma dos amarelos, brancos e indígenas), a taxa foi de 11,2 para cada 100 mil, o que significa que a chance de um negro ser assassinado é 2,6 vezes superior àquela de uma pessoa não negra.

Poucos avanços
"A despeito das ações afirmativas de combate à discriminação racial e das políticas de representatividade garantidas pelo Estado para a população afro-brasileira desde 1988, de lá pra cá, poucos avanços foram registrados no campo da prevenção à violência contra a juventude negra e da promoção do direito humano à vida desses jovens", afirmam Benedita da Silva e Paulão na justificativa.

"O enfrentamento da mais perversa expressão do racismo estrutural na sociedade
brasileira – a mortandade de jovens negros – há muito reclama a conjugação de esforços dos poderes públicos, com a celebração de um pacto pela efetiva proteção da vida da juventude negra em nosso país", concluem.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Sarandi, PR
30°
Parcialmente nublado

Mín. 18° Máx. 29°

30° Sensação
3.6km/h Vento
45% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h44 Nascer do sol
06h06 Pôr do sol
Qua 29° 19°
Qui 29° 20°
Sex 30° 20°
Sáb 31° 20°
Dom 32° 23°
Atualizado às 14h28
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,13 -0,64%
Euro
R$ 5,49 -0,21%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,35%
Bitcoin
R$ 359,926,20 -0,55%
Ibovespa
125,395,60 pts -0.14%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Anúncio